[Grupo B | 1ª Jornada] Atlético Madrid x FC Porto

OP
oblik

oblik

#neymarémodakelvinéfoda
O braço esquerdo do Oblak é tão óbvio que nem sei como há sequer discussão!!
 
São burros, desculpem lá. Há ordem de precedência de faltas e se marca a mão, tem que marcar penalti. O penalti não é a mancha que o Oblak faz, é o braço que ele levanta para fazer cair o Taremi!!

Toda a gente vê um fdp de um pulso a tocar na bola mas aparentemente ninguém consegue ver um braço a virar um jogador... é daquelas merdas à Porto mesmo.
O ex-árbitro do Porto Canal disse que havia penalti do Oblak, justamente por causa do movimento com o braço.
 

24hdragao

Only One Race The Human Race
Julgo que o penalti nem é discutível de tão evidente.

Só mesmo uma equipa de arbitragem que vem a jogo com uma intenção é que não marca penalti. Este gatuno do crl trabalhou este jogo e os próximos, a UEFA é um antro de nojice, é só papel a rolar por fora.
 

BlueSoul

Portista Divino
São burros, desculpem lá. Há ordem de precedência de faltas e se marca a mão, tem que marcar penalti. O penalti não é a mancha que o Oblak faz, é o braço que ele levanta para fazer cair o Taremi!!

Toda a gente vê um fdp de um pulso a tocar na bola mas aparentemente ninguém consegue ver um braço a virar um jogador... é daquelas merdas à Porto mesmo.
Concordo.
 

Vudu

Administrador
Membro do Staff
que jogo horrivel. juntaram-se provavelmente os treinadores com piores ideias tácticas da champions e o resultado foi um bocejo.
eu dizia que se salva o resultado que até nos dá algum jeito mas como já andaram por aí a acusar o Wendel de nao ser portista por estar feliz com o resultado é melhor nem dizer nada.


por último...este é o tal Joao Félix que custou nao sei quantos milhoes? voces tem a certeza que é o mesmo? Até o Dominguez jogava melhor fds...
 
O lance do Taremi avariou-me o juízo, porque de resto estava mais do que conformada com o empate.

Fico com a sensação de que é...curto.

A este nível temos sempre muita organização defensiva e um espírito competitivo imaculado, mas depois para chegar à outra baliza é o chegas...que não é fácil, não é, nem eu peço ataque contínuo e N oportunidades, mas temos capacidade para mais. Umas jogadas com princípio-meio-fim...
 

Jaburu 56

Portista
Os negacionistas da verdade, mentiram, venceram e convenceram

Os medíocres, os corruptos e os vendilhões do templo, vigarizaram e amordaçaram a verdade, divulgando a mentira pelo país inteiro: pelo país vermelho, pelo país verde e, até, pelo país azul.

O pior desse pesadelo, é que conseguiram infiltrar a mentira nas mentes de quase todos os portugueses, que seguem o futebol, mesmo daqueles que se julgam os supra-sumos da análise e do comentário.

O VAR uefeiro, no Wanda Metropolitano, roubou o FC Porto continuada e persistentemente, de forma maquiavélica, execrável e completamente consciente do crime cometido.

O VAR uefeiro, roubou o FC Porto por acção e por omissão.

O VAR uefeiro, roubou o FC Porto em 1.800.000,00 euros e roubou parte da esperança na sua qualificação.

Quanto à propalada grande-penalidade cometida sobre Zaidu, não marcada e negada pelo VAR na sua análise, é, inequivocamente, falta para castigo máximo, seja qualquer o prisma em que as imagens sejam analisadas. Um roubo sem tamanho.

Qual a análise de Pedro Henrique, neste lance?

< … esta para mim não é a melhor imagem > diz Pedro Henriques.

Uma imagem com a objectiva de frente, em grande plano, na qual aparece Zaidu a tocar na bola, e a ser varrido por Kondogbia.

< … mas a imagem que agora vem a seguir, esta aqui; reparem bem agora o pé esquerdo … do Kondogbia, é? … a esticar, e a bola a mudar de direcção … > determina Pedro Henriques.

Nesta imagem que refere Pedro Henriques, vista por detrás, é visível, de forma inequívoca, sem margem para dúvidas, que o pé esquerdo esticado, da “bota laranja - no dizer de Pedro Henriques”, calça meia branca, o que confirma a percepção deixada pela imagem de frente, em que é Zaidu, que claramente toca na bola e que o defesa madrileno, que varreu Zaidu, nunca chegou perto da bola. Pedro Henriques (e Marco Pina - e quantos mais cartilheiros da “quadratura do círculo” das TV´s da capital?) terá reparado que os jogadores do Atlético de Madrid usavam meias azuis? E quantos repararam que as botas de Komdogbia eram brancas e as do Zaidu laranja avermelhado?

No lance do golo anulado, não existe qualquer mão na bola. A bola está sempre à frente do corpo em queda, e das mãos, de Taremi, sempre em movimento, sempre a fugir da queda de Taremi, inevitavelmente em direcção à linha de golo e ao golo. As imagens demonstram que a bola, embora sempre mais adiantada, situa-se sempre no espaço equivalente ao espaço entre as duas mãos, impossibilitando qualquer contacto de uma qualquer das mãos. As repetições do vídeo, de qualquer objectiva, dão-nos sempre esta percepção.

A realidade, é que o VAR, com tanta tecnologia, só consegue apresentar um “frame” que proporciona aos medíocres, aos incompetentes e aos corruptos, uma ilusão de óptica, que lhes permite manipular a realidade e apregoar a mentira e a fraude. A realidade, é que o VAR tinha de ter á sua disposição - e tinha - outras imagens, de outras objectivas, mais conclusivas, que melhor explicariam a ilusão de óptica, contida nesse único “frame”, nessa milésima parte de um segundo, indiscutivelmente nada nítida e nada esclarecedora para os varistas e cartilheiros. Outras imagens que os varistas nunca quiseram mostrar…

É criminoso, é execrável e é corrupção assumida, que o VAR anule um golo, por uma irreal mão na bola/bola na mão, quando a bola, a pouco mais de um metro da baliza, caminha, por si só, inequívoca e inapelavelmente para o golo: intervenha e anule sem apresentar uma prova, uma imagem de inatacável e indiscutível realidade, que comprovasse, de forma inequívoca, a existência desse contacto e justificasse a sua maquiavélica intervenção na decisão do árbitro.

Um “frame”, de milésimos de segundo, gravemente infectado e distorcido pela ilusão de óptica, foi o único argumento para que ímpios corruptos roubassem o FC Porto, com a alegria estampada no rosto.

Quanto ao penalty, do guarda-redes sobre Taremi, tendo em atenção a perversa e corrupta integridade do VAR, tenho uma certeza absoluta: caso não tivessem transformado a ilusão de óptica, em uma realidade conveniente e de cartilha, anulariam o golo e marcariam grande penalidade … na esperança de que o mesmo fosse falhado. Mais não é necessário dizer…

E como viu e analisou Pedro Henriques, este nauseabundo crime desportivo e económico?

Pedro Henriques gastou um minuto e dezassete segundos para falar da nova lei, divagando por paleios sem nexo e sem enquadramento.

Mas ao facto em si, à irreal análise de mão na bola/bola na mão, apenas concedeu menos de meio segundo – ilucidativo.

<… ele tocou com a mão direita … ali, quase com o pulso … > foi tudo o que Pedro Henriques conseguiu dizer sobre um facto determinado por ilusão de óptica, que nunca foi confrontada com diferentes perspectivas e outras variáveis, quer pelo VAR, quer pelos cartilheiros internacionalizados.

Pedro Henriques percebe muito de leis do jogo, é dos que melhor as sabem explicar, mas tem consigo um problema muito grave: a acção de facto - ele não entende a imagem sem profundidade, a imagem não tridimensional, ele desconhece a ilusão de óptica, que as imagens, sem profundidade e não tridimensionais, podem proporcionar. E que bom que assim fosse, que apenas fosse ignorância e incompetência, pois, a não ser assim, estaremos perante um corrupto moral de enorme escroquismo, que com o seu sectarismo e fanatismo manipulou e vigarizou a verdade, confundindo-a, e confundindo-nos, maquiavelicamente, com a ilusão de óptica.

Pedro Henriques, tal como a maioria esmagadora dos comentaristas de arbitragem (para já não falar de um tal Marco Pina e restantes cartilheiros) e, sobretudo, a maioria dos VARISTAS, não tem capacidade nem competência para analisar imagens em movimento, sem profundidade e não tridimensionais: não tem capacidade nem competência para “isolar” as imagens do facto, do contexto de sobreposição, interpretando o movimento, o tempo e o espaço, de forma a nunca confundir a realidade com a ilusão de óptica, evitando assim ludibriar e manipular a verdade e a realidade, e evitando, também, vigarizar, dessa forma, todos os que acreditam na sua seriedade e competência.



Abram o link que se segue: vejam e ouçam, ouçam bem, muito bem, Pedro Henriques – ouçam também, se possível, marcos pinas e outros que tais – comparem com as provas que apresentarei mais abaixo, para terem a certeza que no Wanda Metropolitano houve um roubo maquiavélico, e que na análise desse crime, assistimos a um cambalacho global, perpetrado por integridades corruptas, e aplaudido por canalhas incompetentes e mentirosos cartilheiros internacionalizados.

A análise de Pedro Henriques aos casos de arbitragem no Atlético-FC Porto | MAISFUTEBOL

O JN Online, em 17/09, no artigo “Especialistas absolvem árbitro no golo de Taremi” de Nuno N. Amaral, com a argumentação de uma foto por detrás de Taremi (que o VAR e a TV nunca mostraram), na qual se “vê” a mão esquerda (esquerda) de Taremi, “tocando a bola”. Obviamente que se trata de evidente ilusão de óptica.

Esta foto JN, associada a duas fotos extraídas do vídeo de repetição do VAR, que retractam o mesmíssimo momento, em outras duas perspectivas diferentes, vem confirmar de forma inequívoca que nunca houve “mão na bola/bola na mão”, que esteve sempre longe de isso acontecer, e vem confirmar, também, que um VAR cretino e de integridade corrupta, se escudou numa corriqueira e mais que evidente ilusão de óptica – a uma ou duas centenas de centímetros da linha de golo, quando a bola, por si só, corria para a ultrapassar – para justificar a sua intervenção maquiavélica, com a intencionalidade criminosa de anular um golo, limpo e legítimo. Vem confirmar o cambalacho global, perpetrado por integridades corruptas, e aplaudido por canalhas incompetentes e mentirosos cartilheiros internacionalizados.

Eis as provas, através dos links que se seguem (em PDF porque é possível o zoom sem degradar):

- Uma imagem, três perspectivas.


- Golo anulado, perspectivado de frente.


- Golo anulado, perspectivado de lado.


- Penalty sobre Zaidu.

 
Por acaso, eu, acho que o toque na bola com a mão, não é ilusão de ótica nenhuma. Existe. A minha opinião, é que (e acho que a lei é assim em todos os casos), o árbitro tem de marcar a primeira infração da jogada. Aplicando aqui, a primeira infração é a falta do Oblak sobre o Taremi (que provoca o toque na bola com a mão), e sendo assim, o árbitro tinha de anular o golo e marcar a primeira infração, ou seja, penalti.
 

Jaburu 56

Portista
Por acaso, eu, acho que o toque na bola com a mão, não é ilusão de ótica nenhuma. Existe. A minha opinião, é que (e acho que a lei é assim em todos os casos), o árbitro tem de marcar a primeira infração da jogada. Aplicando aqui, a primeira infração é a falta do Oblak sobre o Taremi (que provoca o toque na bola com a mão), e sendo assim, o árbitro tinha de anular o golo e marcar a primeira infração, ou seja, penalti.
Eu respeito todas as opiniões, mas, até hoje, ninguém conseguiu demonstrar inequivocamente - com imagem/vídeo que ninguém pudesse pôr em causa - que existiu mão na bola. É preciso entender, de uma vez por todas, que para o VAR ter legitimidade de intervir, para alterar uma decisão do árbitro, teria que, obrigatoriamente, apresentar essa prova inequívoca e irrefutável. Nunca, em momento algum, o VAR conseguiu fazê-lo - nem qualquer comentador de arbitragem, nas TVs.
Em todas as 11 imagens que apresento (3+5+3), todas elas sugerem não ter havido mão na bola. A única que poderia sugerir a falta, a "Frame 3", deixa perceber que a mão está a ser eclipsada pela bola e afastada desta, restando apenas considerar a situação como "ilusão de óptica".
A imagem "Perspectiva 3", por detrás de Taremi, mostra claramente que mão direita está claramente afastada da bola (tanto atrasada, como ao lado).
A imagem "Frame 2" (com a mão imediatamente antes da "ilusão de óptica"), tem assinaladas sombras no relvado, das duas mãos e da bola, que determinam que a mão direita está afastada da bola.
A imagem "Frame 4" (com a mão logo após a "ilusão de óptica) é, inquestionavelmente, um enorme contributo para concluir pelo não contacto de mão na bola, confirmando, assim, a "ilusão de óptica. Nesta imagem, o braço e mão direita acabam de pousar no relvado, e a sombra da bola, inegavelmente, marcada na relva, deixa claro que o braço e mão estão afastados, claramente, da bola.
No vídeo, e tendo em consideração posição nos frames 2 e 4, nunca se viu um movimento da mão, de fora para dentro, para dar na bola (Frame 3), nem de dentro para fora, para repor a posição do Frame 4. Aliás, caso não existisse "ilusão de óptica" a mão, em queda - não esquecer - bateria na bola, com força tipo "massé" (bilhar livre) o que não permitiria o "caminhar" normal e por si só da bola. A bola, obviamente, ficaria sujeita a movimentos muito mais esquisitos e inesperados.
Todos os movimentos, todas as sombras, todas as imagens que apresento, todos conjugados entre si, não deixam dúvidas. Não existiu qualquer falta de Taremi, nunca existiu qualquer contacto de mão na bola.
É quem duvida destas conclusões e, sobretudo, o VAR, que têm obrigação moral e legal de comprovar o contrário, com provas inatacáveis e irrefutáveis.
 
Última edição:

Jaburu 56

Portista
Fds eu até fui ver o lance outra vez :lol: :lol:
Enfim
E então? Conseguiste ver alguma mão na bola?
Eu ainda estou à espera que haja alguém, que forma inatacável e irrefutável, demonstre com imagens, mas, sobretudo, com vídeo, que Taremi tocou na bola com a mão.
Continuo com a certeza de que todos os factores, variáveis e desmontagem de imagens sem profundidade e não tridimensionais, garantem não ter existido qualquer falta de Taremi.
As imagens que apresento, conjugadas entre si, depois de analisados todos os pormenores, tendo em atenção todas as sombras existentes no relvado e considerando que a bola está sempre à frente e a fugir da queda de Taremi e que esta está sempre entre os dois braços/duas mãos, não permitem acreditar noutra alternativa à ilusão de óptica.
As imagens "1 imagem, 3 perspectivas" representam o mesmíssimo momento, visto por 3 objectivas diferentes, sendo que a foto JN (por detrás de Taremi), que o VAR e as TVs nunca mostraram, conjugada com as outras duas, permite uma conclusão radical, sem contra-argumentação possível que não seja avalizada por provas concretas e irrefutáveis.
 
OP
oblik

oblik

#neymarémodakelvinéfoda
Oh Jaburu vê-se bem que ele toca com a mão na bola. É completamente involuntário porque é desequilibrado pelo GR mas toca - há um ângulo que até acho que é de frente para a baliza em que se vê claramente.
 
OP
oblik

oblik

#neymarémodakelvinéfoda
Tens aqui outro, marquei o momento em que se vê bem:



Basta seguires a trajectória da bola: bate no chão e elevaria mais se não fosse tocada pelo Taremi em queda.
 

DLX17

DLX17
Claro que toca na bola. A lei é estúpida e isto devia ser um lance de interpretação. Mesmo que não tivesse tocado, a bola ia para a baliza. O que é inadmissível é não ter marcado o penalti.
 

mikec

Portista Divino
Eu acho que a partir do momento em que nos queixamos de tudo, mesmo naquilo que não temos razão, só nos tira credibilidade para quando temos mesmo de nos queixar.

É mão. Ponto.
 
Top