Jorge Nuno Pinto da Costa

Nuno90

Portista
Jorge Nuno Pinto da Costa

pinto-da-costa.jpg


Biografia

Jorge Nuno Pinto da Costa nasceu no Porto, fruto do casamento de José Alexandrino Teixeira da Costa com Maria Elisa Bessa Lima de Amorim Pinto, que acabariam por divorciar-se poucos anos depois, nasceram outros quatro filhos: José Eduardo, Maria Alice, António Manuel e Eduarda. Jorge Nuno faz a escola primária no colégio Almeida Garrett, tendo simultaneamente aulas particulares de Inglês e Francês. Aos 10 anos vai estudar para o Instituto Nun'Álvares, mais conhecido por Colégio das Caldinhas, em Santo Tirso, um colégio jesuíta. De regresso ao Porto, consegue o seu primeiro emprego aos 19 anos no Banco Português do Atlântico, onde foi colega de Artur Santos Silva. É mais ou menos por essa altura que inicia a sua ligação ao FC Porto como dirigente, mantendo contudo o seu emprego no banco e trabalhando mais tarde como vendedor de tintas e resinas, até passar a dedicar-se a tempo inteiro ao dirigismo. Publicou em 2005 a sua autobiografia, Largos Dias Têm Cem Anos, com prefácio de Lennart Johansson, presidente da UEFA entre 1990 e 2007. Dedicou-se a lutar pelo Futebol Clube do Porto.

Vida pessoal

Ao regressar ao Porto após vários anos no colégio em Santo Tirso, Pinto da Costa reencontra a filha de um amigo da família com quem convivera na infância, Manuela Carmona Graça, e apaixona-se. Após vários anos de namoro, em que Manuela se licenciou em Coimbra, em Educação de Infância, e prosseguiu estudos na universidade de Karlsruhe, Manuela é convidada para trabalhar na Alemanha, onde consegue também um emprego para o namorado. Pinto da Costa, não querendo afastar-se do FC Porto, recusa a proposta e pede a namorada em casamento. Casam em Abril de 1989 e o primeiro e único filho do casal, Alexandre, nasce em 1967. Em 1985 Pinto da Costa conhece e apaixona-se por Filomena Morais, e em 1987 nasce da união a sua quarta filha, Joana. Em 1997, com trinta e três anos de casamento e netos nascidos divorciou-se da mulher legitima, Manuela. Já no século XXI separa-se de Filomena, assumindo o namoro com Carolina Salgado, que viria a terminar em 2005. Após uma separação conturbada de Carolina Salgado, em Outubro de 2007 Pinto da Costa casa com Filomena pela segunda vez.

Ligação ao FC Porto
De adepto a director


É por influência do tio Armando Pinto, entusiasta de futebol que fora presidente do Famalicão, que Jorge Nuno Pinto da Costa começa a interessar-se por futebol. É o tio quem paga os ingressos do FC Porto x Sporting de Braga, o primeiro jogo a que Jorge Nuno, com 8 anos, assiste no Campo da Constituição, na companhia do seu irmão José Eduardo. Desde então não mais se desligou do clube, nem mesmo quando se encontrava longe do Porto, procurando sempre que possível ouvir o relato das partidas. Quando completa 16 anos, em Dezembro de 1953, a avó materna inscreve-o como sócio do FC Porto.

Após o regresso ao Porto, Jorge Nuno acompanha religiosamente os jogos do clube, sobretudo de futebol e hóquei em patins. Com cerca de 20 anos, é convidado pelo responsável pela secção de hóquei em patins para ocupar o lugar de vogal, e aceita. Em 1962 passaria a chefe de secção, cargo que viria a acumular com o de chefe da secção de hóquei em campo. Em 1967 passa a ser também chefe da secção de boxe, onde conhece Reinaldo Teles, na altura atleta da modalidade.

Em 1969, é convidado por Afonso Pinto de Magalhães a integrar a sua lista para as eleições desse ano como director das modalidades amadoras. Assim, Pinto da Costa assume pela primeira vez um cargo eleito no FC Porto, de 1969 a 1971. No final desse período, apesar de ter sido convidado por Américo de Sá a candidatar-se com ele, recusou o convite por considerar que o novo candidato deveria apresentar-se às urnas com uma lista totalmente renovada.

Em 1976, em conversa com um grupo de amigos e apesar de não se encontrar a desempenhar funções no FC Porto, alguns deles - boavisteiros - provocavam Pinto da Costa por o seu clube ter deixado que o futebolista Amarildo, praticamente contratado, "fugisse" para o Boavista. Em resposta, Pinto da Costa disse apenas que "largos dias têm cem anos", decidindo nesse preciso momento - soube-se mais tarde, aquando da publicação da sua autobiografia - regressar ao dirigismo desportivo. Conversou com o presidente Américo de Sá e comprometeu-se a fazer parte da sua lista nas eleições seguintes como director do departamento de futebol.

Ainda antes das eleições, acertou com José Maria Pedroto, treinador do Boavista, o seu regresso ao FC Porto, onde já havia sido jogador e treinador. Em Maio desse mesmo ano, Pinto da Costa volta a ser dirigente do FC Porto. É com Américo de Sá como presidente, Pinto da Costa como director do futebol e Pedroto como treinador que o FC Porto consegue quebrar, em 1977-78, o jejum de 19 anos sem vencer um campeonato nacional. Apesar disso, o final da década de 70 é um período conturbado para o FC Porto, e Pinto da Costa e Pedroto acabam por deixar o clube em 1980.

A presidência

Em Dezembro de 1981 as coisas continuam a correr mal ao FC Porto, e é então que um grupo de sócios se une com o objectivo de convencer Pinto da Costa a candidatar-se à presidência do clube. O "sim" demora a surgir, mas perante a insistência dos sócios Pinto da Costa acaba por aceitar, convidando Pedroto para voltar a treinar a equipa principal. Candidatando-se em lista única, Jorge Nuno Pinto da Costa vence as eleições de 17 de Abril de 1982, tornando-se o 33º presidente do FC Porto (ver a cronologia de presidentes do FC Porto no artigo relativo ao clube).

No mesmo ano, o hóquei em patins do clube, que não havia vencido qualquer título desde a sua implementação em 1955, vence a Taça das Taças, arrancando para um período de ouro que se prolonga até aos dias de hoje. Em 1984, o FC Porto chega à sua primeira final Europeia de futebol, na Taça das Taças, contra a Juventus, da qual sai derrotado por 2-1. Em 1987 vence a Taça dos Clubes Campeões Europeus e a Taça Intercontinental, e depois a Supertaça Europeia relativa à mesma época, já no início de 1988. A década de 90 seria gloriosa para o futebol portista graças à conquista de oito campeonatos, cinco deles consecutivamente - o Penta, feito inédito no futebol português. Já no século XXI o clube azul e branco aumentaria o seu palmarés internacional, vencendo a Taça UEFA em 2003 e a Liga dos Campeões em 2004 sob o comando de José Mourinho e a Taça Intercontinental do mesmo ano já com Victor Fernandez. No ano de 2009 conquista o segundo tetracampeonato da sua presidência e da história do clube, com a equipa sob o comando de Jesualdo Ferreira.

Obra
Feitos importantes

A inserção de publicidade nas camisolas do FC Porto, sendo o primeiro clube português a fazê-lo, em 1983
criação da Loja Azul, em 1983, hoje uma cadeia de lojas
criação da Revista Dragões em Abril de 1985
criação dos prémios Dragão de Ouro em 1986
rebaixamento do relvado do Estádio das Antas, aumentando a capacidade das bancadas para 90.000 espectadores, em 1986 (o posterior encadeiramento das bancadas, nos anos 90, voltaria a reduzir a lotação do estádio para 50.000)
criação da secção de desporto adaptado em 1986
criação da FC Porto, Futebol, SAD, e da FC Porto, Basquetebol, SAD, em 1997
construção do Estádio do Dragão, inaugurado em 2003
remodelação do Campo da Constituição (agora denominado Vitalis Park)
construção do Dragão Caixa, inaugurado em 2009.

Palmarés

Futebol (54 Títulos)


2 Taças dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões (1987 e 2004)
1 Supertaça Europeia (1987)
2 Taça UEFA (2003) Liga Europa (2011)
2 Taças Intercontinentais (1987 e 2004)
18 Campeonatos Nacionais (cinco deles consecutivos, de 1994 a 1999, constituindo um marco inédito no futebol português)
12 Taças de Portugal
16 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Liga Intercalar

Andebol (17 Títulos)

6 Campeonatos Nacionais
3 Taças de Portugal
3 Taças da Liga
5 Supertaças

Basquetebol (26 Títulos)

5 Campeonatos Nacionais
11 Taças de Portugal
5 Taças da Liga
4 Supertaças
1 Torneio dos Campeões

Hóquei em Patins (57 Títulos)

2 Taças dos Campeões Europeus (1986 e 1990)
2 Taça das Taças (1982 e 1983)
2 Taças CERS (1994 e 1996)
1 Supertaça Europeia (1987)
20 Campeonatos Nacionais
13 Taças de Portugal
17 Supertaças António Livramento

Voleibol (4 títulos)

2 Campeonatos Nacionais
2 Taças de Portugal

Outras modalidades

Natação
17 Campeonatos Nacionais de Clubes

Atletismo
1 Campeonato Nacional de Clubes em pista coberta (Femininos)

Ciclismo
1 Título de Campeão (individual) da Volta a Portugal
2 Títulos de Campeão (colectivo) da Volta ao Algarve

Bilhar
2 Medalhas de Prata na Liga dos Campeões Europeus (3 Tabelas)
5 Medalhas de Bronze na Liga dos Campeões Europeus (3 Tabelas)
15 Campeonatos Nacionais de Clubes (3 Tabelas)
7 Taças de Portugal de Clubes (3 Tabelas)
6 Supertaças Nacionais de Clubes (3 Tabelas)
1 Campeonato Europeu de Clubes (Pool)
9 Campeonatos Nacionais de Clubes (Pool)
13 Taças de Portugal de Clubes (Pool)
8 Supertaças Nacionais de Clubes (Pool)

Boxe
4 Títulos

Halterofilismo
2 Títulos

Dezenas de títulos nas camadas jovens das diversas modalidades


http://pt.wikipedia.org/wiki/Jorge_Nuno_Pinto_da_Costa
 

Dekap

Melhor do mundo
Não há maneira de agradecer ao PdC o que ele fez pelo clube(independente das polemicas das escutas, etc...) :prayer:
 

SD86

Topo Sul
Hoje o Valdemar Morais, que é sócio da Filomena ou lá o que é, disse hoje ao meu pai que os gajos que compraram o City, o primeiro clube que quiseram comprar foi o Porto, mas o Pinto não quis!
 

Dekap

Melhor do mundo
SD86 disse:
Hoje o Valdemar Morais, que é sócio da Filomena ou lá o que é, disse hoje ao meu pai que os gajos que compraram o City, o primeiro clube que quiseram comprar foi o Porto, mas o Pinto não quis!
A ser verdade, PdC :prayer:
 

famaboys

Eterno #4
20upc36.png


"Neste momento não trocava o Hulk pelo Cristiano Ronaldo"

No programa "Somos Porto" que serviu de abertura oficial da gestão do FC Porto no Porto Canal, Pinto da Costa garantiu que "não chegou" qualquer proposta de compra pelos jogadores do FC Porto. "Todas as propostas que fizeram aos nossos jogadores são dos jornais; ao FC Porto não chegou nenhuma", revelou, fazendo depois uma confissão para muitos inesperada: "Não chegou nenhuma proposta por Hulk. Não vejo que não possa acontecer pagarem a cláusula de rescisão do Hulk. E poderá parecer uma heresia, mas eu não trocava o Hulk pelo Cristiano Ronaldo, considerado o melhor jogador do mundo e obviamente o melhor português", revelou na entrevista conduzida pelo jornalista Paulo Miguel Castro e pelos comentadores residentes do programa, Rita Moreira e Pedro Madeira Froufe.

Ainda sobre o mercado, o presidente do FC Porto não receia "que algum jogador possa sair, a não ser que seja bom para todos, mas os que possam sair terá de ser pelos valores da cláusula de rescisão" e acrescentou: "Não estamos a pensar ir ao mercado, porque não estamos a pensar que o Falcao vá sair".

É, de resto, uma crença que se alarga a todos os jogadores do núcleo duro do plantel. Assegurando, por exemplo, que "Álvaro Pereira não vai sair", sobre o reforço brasileiro Danilo disse que "há conversações" para chegar até ao final de Agosto, porque "na altura não ficou devidamente decidido quando vinha" e que "poderá eventualmente vir só em Janeiro", como tem sido amplamente noticiado e como é desejo do Santos, reconhecido pelo próprio jogador.

Sobre os guarda-redes, admitiu que "vá algum rodar", fazendo considerações sobre Beto e Bracali: "O Beto é um dos melhores guarda-redes portugueses, se não for o melhor. Merecia estar na selecção, perdeu o lugar na selecção por não jogar muito no FC Porto, e manifestou vontade de jogar mais por causa da Selecção Nacional. É legítimo que possa querer sair e temos que estar precavidos para essa situação. Como Bracali era um jogador livre e entendemos que era uma boa opção, foi contratado."

Claro que a aposta em Vítor Pereira foi tema de conversa na primeira entrevista de Pinto da Costa ao Porto Canal. "A mais fácil escolha ao longo destes 30 anos foi a deste ano. Só podia ser este pelo que vi ao longo da época passada", defendeu, recordando que "às quatro horas da tarde André Villas-Boas consumou a rescisão e às seis horas estava a a apresentar Vítor Pereira".

"O Vítor já era o meu treinador para o FC Porto antes de o André Villas-Boas consumar a rescisão do contrato. No ano passado, quando contratei o André Villas-Boas, dei-lhe oportunidade de escolher dois treinadores e fui eu que convidei o Vítor Pereira porque considerava que era um dos grandes treinadores do futuro", declarou. Com a habitual frontalidade, sublinhou que "o treinador do FC Porto não tem que meter medo nas conferências de Imprensa, de conversa ninguém mete medo, tem de meter medo na forma de jogar e de vencer".

"Roberto? São milhões da treta"

Ao seu bom estilo, Pinto da Costa fez este comentário a propósito de Helton e da venda de Roberto para o Saragoça. "Tirando o Helton já todos foram vendidos pela Comunicação Social. Roberto? Isso são milhões da treta, estamos a falar de milhões reais", afirmou o presidente do FC Porto, que sobre as eleições na FPF avançou: "Os políticos já deram provas suficientes na política para eu não os querer no futebol. O FC Porto não vai interferir na escolha do presidente da Federação. A posição que tivemos na Liga de perfeita neutralidade com a escolha do presidente vamos mantê-la na Federação". E sobre as notícias que apontam Hermínio Loureiro como candidato a suceder a Gilberto Madail, confidenciou: "Assusta-me que o Governo tenha um candidato à Federação e seja qual for o político ou a sua cor partidária, o FC Porto será contra."

A eventualidade de Vítor Baía ser candidato a presidente da FPF foi assim comentada: "Em determinados momentos, o Vítor Baía foi usado como arma de arremesso e usado indevidamente porque não merece isso. E acredito que não pretende ser presidente da FPF. Não me interessa ter alguém do FC Porto, o que interessa é que seja alguém que defenda o futebol e os clubes e que estes não sejam apresentados como foras-de-lei".
 
M

mafioxo

Guest
2lmx62x.gif
Atlético de Madrid incomodado com declarações de Pinto da Costa

Segundo o jornal espanhol A MARCA, os dirigentes do Atlético de Madrid revelaram algum incómodo com as declarações do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, a propósito do interesse em Falcão.

«Quando vejo o Atlético de Madrid interessado no Falcão eu rio-me», disse Pinto da Costa, considerando que apenas Real Madrid, Barcelona, Chelsea, Manchester City e, agora, o Paris Saint Germain estarão em condições de pagar os 45 milhões de euros da cláusula de rescisão.

Esta delcaração terá acicatado o orgulho dos dirigentes espanhóis, que deverão voltar à carga para contar com Falcão.

A última proposta teria passado pelo pagamento de 30 milhões de euros mais o passe de Sálvio, sendo que ao FC Porto só interessa o pagamento integral da cláusula de rescisão.
 

Nuno90

Portista
lol2 lol2

Btw 30 + Salvio nem era mau... eu por uns 35 + Salvio não me importava SE tivéssemos lugar para o Salvio o que não é o caso
 
Sim se não querem ser gozados, ponham o dinheirinho na mesa e o PdC cala-se. Gostava de ver :lol:

BTW ainda não nos agradeceram formalmente pela Liga europa que ganharam :mrgreen:
 
Top