Os Estádios da História...

famaboys

Eterno #4
joao castro disse:
CAMPO DA RAINHA


campodarainha.jpg


No dealbar do século XX, o Campo da Rua da Rainha, mais tarde rebaptizada Rua Antero de Quental, foi o recinto onde jogou o FC Porto renovado por José Monteiro da Costa. Aproveitando o auxílio do pai, Jerónimo, o líder azul e branco deu forma a uma iniciativa pioneira no país, arrelvando um rectângulo com as medidas oficiais de jogo, ladeado por fileiras de bancos de tijolo que podiam acomodar cerca de seiscentos espectadores. As instalações comportavam ainda um vestiário, um balneário com três chuveiros e dois lavatórios, um bufete, um ginásio exterior e uma majestosa tribuna destinada aos convidados de honra.


Inaugurado com solenidade num jogo de demonstração entre o FC Porto e os ingleses do The Boavista Footballers, o Campo da Rainha foi palco da primeira vitória azul e branca frente a um adversário estrangeiro, o Real Fortuna de Vigo, batido por 4-1, em 1911.


CAMPO DA CONSTITUIÇÃO


CAMPO_1.jpg



Constituio.jpg
VitalisPark.jpg
Cosntituio2.jpg


Mediante o pagamento de um aluguer anual de 350$00, o Campo da Constituição sucedeu, em 1913, ao Campo da Rainha. Inaugurado com um match entre o FC Porto e o Oporto Cricket and Lawn Tennis Club, tornou-se a casa dos jogos dos «Regionais» e dos «Nacionais», disputados num pelado entre dois «peões» e atraindo um número sempre crescente de adeptos. A afluência obrigou inclusivamente, em 1939, a importantes obras de remodelação, que fizeram crescer novas bancadas e dezenas de camarotes. A lotação era largamente excedida nos dias de grandes desafios, a ponto de se tornarem normais as interrupções devido ao público que transbordava para o campo de jogo.


O Campo da Constituição albergou, além do futebol, partidas de Andebol de Onze, de Hóquei em Campo e provas de Atletismo.


CAMPO DO AMEAL


Ameal.jpg


Propriedade do Club Sport Progresso, colectividade da freguesia de Paranhos, foi utilizado pelo FC Porto em vários jogos, nas décadas de 1920 e 1930. O Amial, como então se escrevia, era um dos mais bonitos recintos desportivos da época, com modelares balneários e um relógio monumental, tendo igualmente servido de palco para jogos da selecção portuguesa. Foi ganhando o seu espaço na história portista à medida que o Campo da Constituição se revelava demasiado exíguo para a afluência crescente de adeptos aos grandes desafios. Até à realização do sonho do Estádio das Antas, o Campo do Ameal partilhou momentos de glória azul e branca com o Estádio do Lima.


ESTÁDIO DO LIMA


ESTDIO1.jpg


Recinto multidisciplinar, propriedade do Académico FC, o Estádio do Lima contava nas suas valências com bancada central coberta, bancada de cimento no topo Norte, zonas de «peão», pistas de atletismo, de ciclismo e campo de basquetebol, para além de um pavilhão. Face às condições precárias do Campo da Constituição, o Lima foi utilizado para jogos do FC Porto em diversas ocasiões, sobretudo na década de 1940. De entre os encontros particulares aqui disputados, destaca-se o jogo entre FC Porto e Arsenal, em 1948, que terminou com um triunfo portista por 3-2.


ESTÁDIO DAS ANTAS


Antasinaugural-1.jpg

Inauguração


antas.jpg


Inaugurado em Maio de 1952, o Estádio das Antas, obra dos arquitectos Oldemiro Carneiro e Aires de Sá, foi durante mais de meio século um monumento de referência da cidade e da região. Sonho persistente e acarinhado ao longo dos anos pelos adeptos azuis e brancos, cresceu com o tempo e implantou-se em definitivo na zona que lhe ofereceu o epíteto, já que a sua designação oficial era Estádio do Futebol Clube do Porto. Com o passar do tempo, mudou de aparência várias vezes, ganhando lugares e uma arquibancada, tal como o relvado rebaixado, e a zona envolvente dotou-se de campos de treino, pavilhões gimnodesportivos, piscina coberta, uma Sala de Bingo e, posteriormente, de uma renovada e ampliada área administrativa, que se instalou na emblemática Torre das Antas. Dos incontáveis momentos de glória portista vividos ao longo dos anos, sobressaem vitórias internacionais, celebrações de conquistas (algumas inéditas no futebol português), ciclos triunfais e instantes de apoteose que atribuíram ao recinto uma aura mítica, que resiste na memória de todos quantos testemunharam o processo que conduziu o Dragão ao mais elevado estatuto desportivo europeu e mundial.



ESTÁDIO DO DRAGÃO


dragao021.jpg





Drago2.jpg
Drago1.jpg
Drago3.jpg


A força da modernidade tornou imperioso um novo passo no enriquecimento patrimonial do FC Porto, dotando-o de um estádio moderno, mais funcional, mais cómodo e melhor ajustado às exigências do futebol ao mais alto nível e da excelência indissociável do historial portista. A realização do Euro 2004 proporcionou a mudança e o Dragão, obra da autoria do arquitecto Manuel Salgado, nasceu, localizado um pouco abaixo daquele que, com respeito pelo passado e orgulho no presente, substituiu enquanto palco da distinção azul e branca. Com capacidade para 50.399 espectadores, dotado de valências únicas que, enriquecidas pela colocação de espaços verdes e pela reestruturação das vias anexas ao complexo desportivo, residencial e comercial, materializam uma nova centralidade na cidade do Porto, o Dragão afirma-se como ponto de referência desportivo e cultural da cidade e da região. A cerimónia inaugural ocorreu a 16 de Novembro de 2003, tendo como instante maior o encontro particular entre o FC Porto e o convidado de honra Barcelona, que terminou com vitória azul e branca por 2-0. Posteriormente, o Estádio do Dragão acolheu o jogo de abertura do Euro 2004, discutido entre as selecções de Portugal e da Grécia, e foi palco da deslumbrante caminhada portista rumo à conquista da Europa, na época 2003/04.


Informação recolhida em http://estrelas-do-fcp.blogspot.com
 
OP
famaboys

famaboys

Eterno #4
Varekai disse:


Estádio das Antas:

Foi numa Assembleia Geral em 1933 que surgiu a proposta de construção de um novo estádio, já que o Campo da Constituição começava a revelar-se pequeno para o FC Porto. A proposta foi aprovada por unanimidade, mas só em 1937 começaram a ser tomadas medidas no sentido de concretizar o objectivo, com a criação de um empréstimo obrigacionista. Dez anos depois foi comprada uma área de 48.000 metros quadrados na zona das Antas, na parte leste da cidade do Porto. A primeira pedra foi lançada em acto simbólico em Dezembro de 1949, tendo a obra começado cerca de um mês depois.


José Bacelar, sócio nº1 do FC Porto na altura, pagou o salário do primeiro dia de trabalho a todos os operários. A solidariedade da população da cidade e da região para com o FC Porto ficou também marcada por dois cortejos de materiais, em que dezenas de camionetas, autocarros e furgonetas seguiram em cortejo para o estádio levando material de construção.


Ao longo do processo foi necessário comprar terrenos adjacentes aos originais, pois concluiu-se que 48.000 metros quadrados não seriam suficientes para o complexo desportivo que o FC Porto pretendia construir. Comprados os referidos terrenos, a área total ascendeu aos 63.220 metros quadrados. A capacidade original do estádio era de 44.000 espectadores, distribuídos por três bancadas - duas superiores e uma lateral. O lado leste do campo não tinha bancada, sendo chamado de Porta da Maratona.


No dia 28 de Maio de 1952 o Estádio do Futebol Clube do Porto foi inaugurado numa cerimónia pomposa que contou com a presença do General Craveiro Lopes, então presidente de Portugal. Urgel Horta presidia ao FC Porto na altura. Após a cerimónia foi realizado um jogo inaugural efectuado perante os rivais S.L. Benfica. A partida terminou com a vitória do S.L. Benfica, por 8-2.


Modificações:


- 1960 - inauguração da pista de ciclismo

- 1962 - inauguração da iluminação artificial

- 1976 - fecho da Porta da Maratona, ou seja, construção de uma bancada ao longo da lateral leste do campo, acrescida de um segundo anel - a arquibancada, que aumentou a capacidade do estádio para 65.000 lugares. estando apenas 30% da bancada encadeirada.

- 16.12.1986 - a capacidade do estádio aumentou para 95.000 lugares! rebaixamento do campo - a bancada avança na direcção do campo, substituindo a pista de ciclismo e atletismo.


- na década seguinte o estádio foi sendo gradualmente encadeirado - terminado o procedimento, a capacidade do estádio diminuiu para cerca de 55.000 lugares


O complexo:


Quando se fala no Estádio das Antas, nem sempre se fala apenas no estádio em si; a expressão pode designar também todo o complexo desportivo que, ao longo das cinco décadas de existência do estádio, foi sendo construído à sua volta. Esse complexo incluía, entre outras coisas:


O Pavilhão Américo de Sá (com capacidade para 7.000 pessoas), onde actuavam as equipas de andebol, basquetebol e hóquei em patins do FC Porto (a de basquetebol passaria a jogar no Pavilhão Rosa Mota em meados dos anos noventa)


-O Pavilhão Afonso Pinto de Magalhães


-Uma piscina coberta (utilizada quer pela equipa de natação do FC Porto, quer por utilizadores pagantes)


-Três campos de treinos relvados


-A primeira Loja Azul


-O Bingo do FC Porto


-A sala-museu do FC Porto


-A Torre das Antas, onde foi instalada a sede do FC Porto


O Fim:


O complexo das Antas começou a ser demolido em 2001; nessa altura, as equipas de andebol, hóquei em patins e natação do FC Porto passaram a competir em casa "emprestada": o Pavilhão Municipal de Santo Tirso, o Pavilhão Municipal de Fânzeres e a Piscina de Campanhã, respectivamente. Também a equipa de basquetebol deixou o Pavilhão Rosa Mota, passando a jogar no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos. Estas equipas continuam deslocadas mesmo após a inauguração do Estádio do Dragão, uma vez que este não inclui pavilhão nem piscina. Existe agora um pavilhão junto ao estádio, o Dragão Caixa, que ficou concluido em meados de 2008.


O Estádio das Antas propriamente dito permaneceria intacto até à inauguração do Estádio do Dragão, em Novembro de 2003, e mesmo para além dela: devido a um grave problema com a relva do novo estádio, este não pôde começar a ser utilizado para jogos oficiais logo após a inauguração, pelo que o Estádio das Antas foi ainda palco de oito jogos oficiais, o último deles contra o Estrela da Amadora a 24 de Janeiro de 2004. A demolição começaria cerca de um mês e meio depois.
[editar] Balanço final


No Estádio das Antas o FC Porto jogou 1002 jogos, tendo vencido 803, empatado 119 e perdido 80.


in: Wikipédia


Partilhem as vossas recordações\aventuras\jogos, neste estádio, que inevitávelmente faz parte da nossa história.
 
OP
famaboys

famaboys

Eterno #4
UnReal disse:
OJogo disse:
ECA premeia FC Porto pelo maior feito não desportivo


O FC Porto foi distinguido com a atribuição do prémio para maior feito não desportivo do ano de 2009 pela European Club Association, que ontem se reuniu em Genebra. Os portistas foram premiados pelas boas práticas ambientais no Estádio do Dragão, que, de resto, já valeram ao clube a certificação de qualidade e ambiente que o recinto ostenta.


http://www.ojogo.pt/26-250/artigo883998.asp
 

Dekap

Melhor do mundo
Ainda tive a felicidade de ir as Antas ver um jogo, Porto-Paços (que se não me falha a memória ganhámos 2-1 com um bis do Jardel). Que ambiente aquele estádio :prayer:
 

Nuno90

Portista
Vi mais nas Antas que até hoje no Dragão... o meu Padrinho levava-me muitas vezes.

Grande estádio... o ambiente era uma coisa do outro mundo.
 

SD86

Topo Sul
Estádio das Antas... que saudades!


Grandes momentso que passei por lá, tanto se festejou.. nunca será esquecido!
 
OP
famaboys

famaboys

Eterno #4
Creio que essa "faixa" está num dos CD's de 02/03 ou 03/04... Tal como creio que não tem tanta duração...

Antas :heart: Saudades :3sad:
 
S

supermario95

Guest
Nuno90 disse:
Vi mais nas Antas que até hoje no Dragão... o meu Padrinho levava-me muitas vezes.

Grande estádio... o ambiente era uma coisa do outro mundo.
comigo era igual (o meu padrinho também) tantos jogos que ele me levou a ver, saudades :3sad:
 

Pai Hans

Conhecido anteriormente por Tio
Membro do Staff
Acho que nas Antas só não estive na superior sul. De resto, arquibancada, superior norte e centrais, estive em todas.

btw, no sítio do estádio do Lima, existe hoje um terreno enorme. Não compreendo como ainda ninguém pegou naquilo.
 

JoãoPedro5

Novato
tive a oportunidade de ver o porto uma vez ao vivo nas Antas,com o meu pai,o porto ganhou 3-1 ou 2-1 ao Paços de Ferreira, chovia totil nesse dia,adorei a primeira vez que vi o Porto jogar ao vivo,foi magnifico.




Amo-te Porto!
 
OP
famaboys

famaboys

Eterno #4
20upc36.png


Dragão é a maior sala de troféus da Europa

Cumprem-se hoje oito anos que o Estádio do Dragão abriu as portas, embora só tenha recebido jogos oficiais três meses depois por causa de um problema com a relva. Desde que o Barcelona, que estreou Messi nesse jogo, apadrinhou o novo recinto dos portistas, o clube já venceu 18 troféus, três dos quais internacionais. Ou seja, mais de duas conquistas por ano. Mais nenhum clube europeu - e provavelmente em todo o mundo - iguala este registo no mesmo período. Os catalães são os que mais se aproximam, com 17 títulos, o último dos quais conquistado "à custa" dos dragões, na Supertaça Europeia. Mais atrás surgem o Inter de Milão (16) e o Manchester United (14).

É por isso uma casa de sucesso, com um registo brilhante, aquela que hoje apaga as velas. Construído para substituir o velhinho Estádio das Antas, o Dragão custou quase cem milhões de euros e foi palco de cinco jogos do Euro'2004. Antes disso, já tinha festejado um título nacional e a conquista da Liga dos Campeões com José Mourinho. Foi o início de um percurso que continua a acumular troféus para exibir no futuro museu, que deverá abrir portas em Abril de 2012.

Classificado com Grau A - pode ser palco de qualquer evento futebolístico nacional ou internacional -, o Dragão não vive apenas de futebol. Espaço desenhado pelo Dragão de Ouro Manuel Salgado para ser multifuncional, já recebeu concertos (Rolling Stones), congressos, festas de aniversário, casamentos e a prova de automobilismo Race of Champions.

Além disso, tem acumulado prémios próprios, a juntar aos da equipa: foi o primeiro estádio do mundo a receber a Certificação Integrada de Qualidade (ISO 9001) e Ambiente (ISO 14001), distinguindo-se ainda na ecologia, na reciclagem e na siderurgia.


18
São 6 campeonatos, 4 Taças de Portugal, 5 Supertaças, uma Liga dos Campeões, uma Liga Europa e uma Taça Intercontinental na galeria do Dragão

179
O número de jogos oficiais do FC Porto no estádio. São 129 triunfos, 33 empates e apenas 17 derrotas. Neles, os portistas já festejaram 361 golos e viram os adversários marcar 110. A média é de dois golos marcados por partida.

40
Falcao ainda detém o recorde de golos marcados no Dragão, mas Hulk está a apenas um póquer de o apanhar. Isto em jogos oficiais. Maniche abriu as hostilidades, contra o Leiria, em 2004. O mais recente golo foi da autoria de João Moutinho.

6,5
Milhões de espectadores - valor ultrapassado no último jogo - que se sentaram nas bancadas em partidas oficiais, excluindo jogos da Selecção e do Euro'2004. A média é de 36 479, o que perfaz uma taxa de ocupação muito interessante de 70,1 por cento.

36
Quando receber o Braga, no dia 27, já passarão mais de 36 meses desde a última derrota caseira em partidas do Campeonato Nacional. O Leixões, em 25 de Outubro de 2008, foi o último adversário a sair do Dragão com os três pontos.
 

Manu

Portista Divino
Quando me lembro da fama que tinha o Dragao no inicio :lol2:
Diziam que dava azar a equipa (epoca 04/05)
 
OP
famaboys

famaboys

Eterno #4
Nesse ano o único título que levou foi o da Taça Intercontinental, naquela maratona e roubalhice como nunca vi contra o Once Caldas... Foi o jogo que mais sofri pelo Porto depois do Celtic e do Man Utd... :c
 
Top