Vítor Pereira

ACouto

Portista
kaRam disse:
É isto. Não é por os últimos dois treinadores terem sido fracos que o Vítor Pereira subitamente se torna fenomenal.

ACouto, para mim a eliminação da Taça em Coimbra e pelos números que foi é imperdoável, seja em que circunstâncias for. O mesmo para os resultados contra o APOEL. Na época seguinte, voltamos a cair na Taça com uma gestão surpreendente em Braga. Já a história do Málaga-Dortmund para mim é entrar no campo das vitórias morais. É com toda a razão que afirmam que jogámos muito bem na 1ª mão, diria que foi uma das melhores exibições que já nos vi fazer, mas infelizmente fomos muito fracos na eficácia, e isso também se treina. Acabámos por ser eliminados por uma equipa claramente mais fraca que nós. Por todo este parágrafo, e pela forma como surgiu a hipótese Paulo Fonseca, acho que a troca de treinadores foi uma decisão completamente natural.

No entanto, se na próxima época só pudéssemos escolher ex-treinadores nossos, escolhia o VP. A evolução do AVB provoca-me algum receio, o Vítor Pereira pelo menos não fracassou em nenhum dos clubes por onde passou até agora.
KaRam, concordo que os 3-0 não deveriam acontecer nunca. Contudo, temos que contextualizar a situação. Nessa altura, por obra e graça da famosa SAD, andávamos com o Maicon adaptado a DD, por exemplo. Um plantel claramente contra o VP. Tudo isso, não servindo de desculpa, serve de atenuante. Em relação à gestão em Braga, já comentei no meu post anterior. Penso ter sido errada, mas a verdade é que o plantel não permitia rodar e manter um nível alto - Kléber, Atsu, Defour, Abdoulaye eram as nossas opções para rodar. Já agora, uma vitória em Paris rendia 1M€, não era? Mais do que rende a Taça... De qualquer forma, concordo com o facto da gestão ter sido mal feita.


Treina-se, certo. Mas há dias em que corre mal, aqueles que dizemos "caramba, hoje a bola não quer entrar, podemos ficar aqui o dia todo". Acontece, o futebol não é linear. Nos treinos, podemos marcar 50 golos e nos jogos correr mal. Eu compreendo a saída do VP e até a defendi na altura (e defenderia novamente) porque não havia condições para ele continuar, mesmo sendo bicampeão. Não havia porque o elo com os adeptos, que consideravam o futebol "secante" (vá-se lá saber, mas em jogos grandes tinha praticamente a certeza que não perdíamos), se tinha quebrado. Por isso, a sua saída foi natural. Os adeptos é que não deveriam ter feito o que fizeram. Se não tivesse havido AVB, se calhar, a história teria sido diferente. Mas não tenho grandes dúvidas que estaríamos bem melhor se o VP tivesse tido condições para ficar. O JJ, que tinha menos condições, ficou e foi a melhor opção para o Benfica, como hoje se reconhece.
 
Lamento muito que o Vítor não tivesse condições para continuar. Nem a mulher e filhos tinham sossego nas suas vidas, coisa que me revolta particularmente e que atesta a estupidez de muita gente. Com o Benfica a perder tantos pontos na primeira volta - relembro que até chegámos a liderar com cinco pontos de vantagem - ele até poderia conseguir ter finalmente estabilidade e tornar-se mais consensual. Mas agora é fácil dizer isto, já passou. Na altura, infelizmente, tinha a vida muito difícil aqui.
Que nos sirva de lição.
 

kaRam

Novato
Eu não lamento a sua saída, mas concordo com a previsão que estaríamos melhores com ele do que com os treinadores que o sucederam. Mas, naquelas semanas em que a decisão tinha que ser tomada, e com a informação que estava disponível nesse momento, acho que foi a melhor decisão.

E também achei nojenta toda a influência negativa que alguns adeptos tiveram na vida pessoal do Vítor Pereira.
 
Lisa Simpson disse:
Lamento muito que o Vítor não tivesse condições para continuar. Nem a mulher e filhos tinham sossego nas suas vidas, coisa que me revolta particularmente e que atesta a estupidez de muita gente. Com o Benfica a perder tantos pontos na primeira volta - relembro que até chegámos a liderar com cinco pontos de vantagem - ele até poderia conseguir ter finalmente estabilidade e tornar-se mais consensual. Mas agora é fácil dizer isto, já passou. Na altura, infelizmente, tinha a vida muito difícil aqui.
Que nos sirva de lição.

Não serviu até agora. Resta esperar que apareça um treinador que ganhe tudo o que houver para ganhar(Champions incluída). No pressure...
 

Enigmatic

Portista Divino
Enquanto vemos o FC Porto afundar vertiginosamente de ano para ano, o melhor treinador português dos últimos anos vê os golos do SCP de ontem à noite e sabe/sente que contra a sua fortíssima organização colectiva jamais ocorreriam.
Na sua estreia, provavelmente o desafio mais aterrorizador para um treinador de futebol a começar, mostrou o quão bem preparado estava, e nem contra a melhor equipa da história do jogo o seu FC Porto foi dominado em plena Supertaça Europeia.
Nem aí, nem em lado nenhum, nunca uma equipa foi capaz de dominar verdadeiramente o jogo contra esse FC Porto.
Ancelotti e Pellegrini vieram ao Dragão nesse período e saíram impressionados com o que encontraram. A perguntar-se quem seria o treinador totalmente desconhecido que estava no banco portista, que não lhes deu momento algum para ter bola, para penetrar no bloco adversário, para criar perigo sequer em bolas paradas.
Esse desconhecido, não só tinha uma das equipas mais equilibradas colectivamente que já vi no FC Porto, como queria dominar em qualquer momento, queria ditar a partida, queria ter a verdadeira dinâmica que se procura em posse, tendo sempre a vantagem e a probabilidade de sucesso claramente inclinada para si pelas ideias e princípios que a sua equipa imponha em campo.
No campeonato, os números nem sempre dizem tudo, mas neste caso concreto não deixam margem para dúvidas: 1 derrota em 60 jogos. 2 títulos consecutivos e totalmente indiscutíveis.
Contra os rivais durante o mesmo período, mesmo quando não ganhou, o FC Porto foi sempre superior, sempre.
Foi este o treinador que deixamos ir para fazer um facelift... Foi este o treinador que durante 2 anos acharam que ganhava por mérito de todos menos dele... Foi este o treinador que nos meteu num patamar tão alto do ponto de vista colectivo e competitivo que fez com que quem viesse a seguir tivesse naturalmente enormes dificuldades para manter o nível alcançado.
Não tenho nada contra facelifts, pois durante estes dois anos tivemos um treinador que conseguiu em determinada altura recuperar a esperança dos adeptos e mostrar todo o à vontade que se procura nestes casos do ponto de vista externo. E no futebol moderno faz todo o sentido ter isto como peso na escolha do perfil dum treinador, o que não faz sentido absolutamente nenhum é que isso seja o mais importante.
Provavelmente, o ideal é ter ambos, mas não sendo possível, entre a competência e a aparência, a primeira vai ser sempre a mais importante, seja no que for que se faça na vida.
Um grande abraço à Nação Portista.

by Tactical Porto (Facebook)
 

vitordaniel

"A arte de vencer aprende-se nas derrotas."
Nada que seja novidade...mas o que adianta chorar pelo passado olhar em frente é o caminho
 

Carix

Portista Divino

Vítor Pereira: "Tenho saudades mas tão cedo não regresso a Portugal"


[/size]"Portugal será sempre o meu País, o meu cantinho no mundo. Sinto saudades de Portugal, de muitas coisas, mas tão cedo não vou regressar. Isso, para mim, é claro", afirmou o técnico em declarações à SIC.No entanto, o regresso a Portugal para o jogo da segunda mão "vai trazer boas recordações", admitiu o técnico.
 

Ricardo Rodrigues

Portista Divino


[SIZE=small]O Fenerbahçe recuperou a lideranla da liga turca, mas o dia não foi de felicidade, por causa do atentado em Ancara, que vitimou dezenas de pessoas.

No final do desafio frente ao Kayserispor, o treinador falou de tudo menos de futebol: «Eu acho que, quando situações destas acontecem, o futebol não interessa. Quero falar das famílias que ficam a sofrer, que perdem os seus familiares... Eu não consigo entender isto. Não sei como se consegue viver sempre com a guerra. Deus quer paz, quer este mundo para vivermos em paz, para vermos os nossos filhos crescerem, e isto... Não sei o que estas pessoas pensam».

E continuou, deixando a entender que acontecimentos destes poderão precipitar a sua saída de solo turco, com receio pelos familiares.

«Estou a pensar seriamente se vale a pena continuar aqui com a minha família. De repente, acontecem coisas destas, as pessoas morrem e isto é do mais triste que há na vida. Só espero que estas coisas parem para, depois, então podermos falar de futebol», desejou.[/SIZE]


Podes voltar VP.
 

btx

Portista Divino
Fogo, grande homem, grandes palavras. É mesmo pena que não queiras voltar tão cedo ao teu clube Vítor :heart:
 

vitordaniel

"A arte de vencer aprende-se nas derrotas."
O homem deve ter tido mais problemas com a familia cá do que tem actualmente na turquia :lol: esqueçam o VP :lol: :lol:
 
Top